Close

Glossário de abreviações da adtech da Applift

Sabemos que pode haver um enorme jargão técnico no mundo da adtech. Saber distinguir entre CPA, CPI e CPS pode ser essencial para garantir a implementação da estratégia de publicidade ideal.

Como um guia para iniciantes (além de um lembrete útil para profissionais de marketing experientes), compilamos todos os termos, métricas e acrônimos de stakeholders em um glossário da adtech para te ajudar a navegar por esse mundo de letras e abreviações.

Abreviações essenciais da Adtech

API: (Application Programming Interface ou Interface de Programação de Aplicações) – as funções e procedimentos pelos quais um sistema ou componente de software define a forma de comunicação com outro software. Sem isso, o Slack não poderia te notificar sobre as próximas reuniões e o botão de compartilhamento do Facebook não existiria fora do Facebook. Não confundir com SDK.

ASO: (App Store Optimization ou Otimização nas Lojas de Aplicativos) – o processo de aumentar a visibilidade e a classificação de um aplicativo em uma loja de aplicativos para maximizar os downloads.

CTA: (Call To Action ou Chamada para Ação) – o botão que os usuários apertam para executar uma ação desejável, como instalação, download ou compra (por exemplo: “Clique aqui”, “Inscreva-se”, “Compre agora”).

DMP: (Data Management Platform ou Plataforma de Gerenciamento de Dados) – uma plataforma onde as empresas podem identificar segmentos de audiência, segmentação e campanhas de anúncios.

DSP: (Demand Side Platform ou Plataforma do Lado da Demanda) – um sistema que permite aos anunciantes gerenciar programaticamente diversas contas de troca de anúncios e dados por meio de uma única interface.

GAID: (Google Android Unique Identifier ou Identificador Exclusivo do Google Android) – o identificador de strings exclusivo (mas redefinível pelo usuário) do Google/Android, que permite que redes de anúncios e outros aplicativos identifiquem usuários anonimamente.

IAP: (In-App Purchases ou Compras In-app) – as compras que um usuário faz dentro da interface de um aplicativo, por exemplo pagar por uma corrida do Uber, fazer uma assinatura da Netflix ou comprar um novo personagem em um jogo para mobile.

IDFA: (Identifier for Advertisers ou Identificador de Publicidade) – identificador de strings exclusivo (mas redefinível pelo usuário) da Apple, que permite que redes de anúncios e outros aplicativos identifiquem usuários anonimamente.

KPI: (Key Performance Indicator/Performance Indicator ou Indicador-chave de Desempenho/Indicador de Desempenho) – uma forma de medição de desempenho usada para avaliar o sucesso de uma campanha. As empresas selecionam seus próprios KPIs, dependendo dos objetivos finais da campanha. Dessa forma, os KPIs diferem muito de empresa para empresa, mas, para campanhas de publicidade para mobile, alguns dos mais populares incluem CPA, CPI e CPV.

RTB: (Real Time Bidding ou Lance em Tempo Real) – a maneira pela qual o inventário de publicidade é comprado e vendido por meio de um leilão instantâneo programático por impressão. Não deve ser confundido com publicidade programática (veja a diferença).

SDK: (Software Development Kit ou Kit de Desenvolvimento de Software) – um pacote de ferramentas, programas e códigos de software que os desenvolvedores podem adicionar ao seu aplicativo para ajudar na medição de dados analíticos e de publicidade.

SSP: (Supply Side Platform ou Plataforma do Lado da Oferta) – uma plataforma de tecnologia que permite que publishers da web e proprietários de mídia digital externa gerenciem seu inventário de publicidade e o ofereçam aos anunciantes.

TL: (Tracking Link ou Link de Rastreamento) – um URL normal com tags (parâmetros) anexadas ao final, permitindo o rastreamento de visitantes. É usado para medir a eficácia de campanhas, canais e atividades de marketing.

VTA: (View-through Attribution ou Atribuição por Exibição) – a maneira como os anunciantes atribuem instalações ou ações a campanhas de publicidade para mobile baseadas em impressões. Também conhecido como “rastreamento de impressões”.

Métricas da Adtech

ARPU: (Average Revenue per User/Average Revenue per Unit ou Receita Média por Usuário/Receita Média por Unidade) – uma métrica usada para medir os fatores que contribuem para a receita geral, o que ajuda as empresas a analisar seus padrões de crescimento e comparar o desempenho com os concorrentes. [receita total ÷ número de usuários]

ARPPU: (Average Revenue per Paying User ou Receita Média por Usuário Pagante) – a quantidade média de dinheiro gerado por um cliente pagante. [receita recorrente mensal ÷ clientes pagantes ativos]

ARPDAU: (Average Revenue per Daily Active User ou Receita Média por Usuário Ativo Diariamente) – uma medida de quanto dinheiro todo usuário comum gera diariamente. A receita obtida pode ser de anúncios, compras in-app, assinaturas ou qualquer outro modelo de monetização usado pelo aplicativo. [receita obtida em 24 horas ÷ número de usuários ativos no período de tempo]

CPA: (Cost per Action/Cost per Acquisition ou Custo por Ação/Custo por Aquisição) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga apenas depois que uma ação específica (como um cadastro ou pagamento) é executada no aplicativo instalado. [custo para o anunciante ÷ número de ações, conversões da campanha] (saiba mais)

eCPA: (effective Cost per Action ou Custo Efetivo por Ação) – um KPI para anúncios e cálculo de preço que mede o custo necessário para que um novo usuário execute uma ação. A principal diferença entre CPA e eCPA são os dados usados ​​para calculá-los: o eCPA é uma forma de calcular o CPA para campanhas que não usaram o CPA como método de compra. Em outras palavras, o eCPA é um cálculo que revela qual teria sido o CPA se as ações tivessem sido compradas em vez de visualizações, instalações etc. [gasto total de anúncios ÷ número total de ações executadas]

CPC: (Cost per Click ou Custo por Clique) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga por cada clique em um anúncio. [custo para o anunciante ÷ número de cliques]

CPI: (Cost per Install ou Custo por Instalação) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga apenas se um clique no anúncio resultar em uma instalação de aplicativo. [custo para o anunciante ÷ número de instalações (resultante diretamente da campanha do anúncio)]

eCPI: (effective Cost per Install ou Custo Efetivo por Instalação) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que mede o custo necessário para adquirir uma nova instalação. Ao contrário do CPI, o eCPI considera instalações orgânicas e virais. [gasto total de anúncios ÷ número total de instalações]

CPL: (Cost per Lead ou Custo por Lead) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga por um lead relevante resultante de uma campanha de anúncios. [custo para o anunciante ÷ número de leads da campanha]

CPM: (Cost per Mille ou Custo por Mil) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga por mil visualizações de um anúncio. [custo para o anunciante ÷ número de impressões da campanha × 1000]

eCPM: (effective Cost per Mille ou Custo Efetivo por Mil) – um KPI para anúncios e cálculo de preço que mede a receita gerada por 1.000 impressões de um anúncio. A principal diferença entre CPM e eCPM são os dados usados ​​para calculá-los: o eCPM é uma forma de calcular o CPM para campanhas que não usaram o CPM como método de compra. Em outras palavras, o eCPM é um cálculo que revela qual teria sido o CPM se as impressões tivessem sido compradas em vez de ações, instalações etc. [ganhos totais de um anúncio ÷ total de impressões × 1000]

CPO: (Cost per Order/Cost per Purchase ou Custo por Pedido/Custo por Compra) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga por um pedido bem-sucedido resultante de uma campanha de anúncios. [custo para o anunciante ÷ número de pedidos da campanha]

CPS: (Cost per Subscription ou Custo por Assinatura) – CPA específico para serviços de assinatura, em que a ação é definida como a assinatura de um usuário. [custo para o anunciante ÷ número de assinaturas da campanha]

CPR: (Cost per Registration ou Custo por Registro) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que mede o sucesso com base na geração de novos registros. [custo para o anunciante ÷ número de registros resultantes]

CPV: (Cost per View/Cost per Visit ou Custo por Visualização/Custo por Visita) – um KPI para anúncios e modelo de precificação que contabiliza o preço que um anunciante paga pela interação com o anúncio (por exemplo: clique, reprodução, expansão). É particularmente útil para campanhas que utilizam anúncios reproduzíveis. [custo para o anunciante ÷ número de visualizações da campanha]

CR/CCR (Churn Rate/Customer Churn Rate ou Taxa de Churn/Taxa de Churn de Clientes) – a porcentagem de usuários perdidos (medidos por inatividade ou cancelamento de assinatura) durante um determinado período de tempo (ou seja, a taxa de desgaste). É o inverso da taxa de retenção. [número de clientes perdidos ÷ número total de clientes]

CR/CVR: (Conversion Rate ou Taxa de Conversão) – a porcentagem de usuários que executam uma ação desejada após serem expostos a um anúncio. [conversões positivas ÷ cliques recebidos × 100]

CTIT: (Click to Install Time ou Tempo de Clique para Instalar) – um tipo de modelagem de distribuição usada para analisar o período de tempo do intervalo de “atraso” entre um clique e a instalação correspondente. É útil para detecção de fraudes. [tempo de instalação – tempo de clique no anúncio]

CTR: (Click Through Rate ou Taxa de Clique) – a proporção de usuários que clicam em um link anunciado em relação aos usuários que visualizam a página ou aplicativo que publicou o link. [total de cliques no anúncio ÷ total de impressões do anúncio]

DAU: (Daily Active Users ou Usuários Ativos Diariamente) – o número de usuários que interagem com um aplicativo ao longo de 24 horas. [soma total de espectadores únicos em um determinado dia]

FTD: (First Time Deposit Conversion ou Conversão de Depósito Inicial) – um modelo de aquisição normalmente usado no setor de jogos de azar online para medir as taxas de conversão. [número total de visitantes únicos ÷ número de depósitos iniciais]

K: (K-Factor) – um cálculo para medir a taxa de crescimento e a viralidade de sites e aplicativos. Pode ser simplificado como convites multiplicados por conversões. [número de convites enviados por cliente × porcentagem de conversões por convite]

LTV/CLV: (Lifetime Value/Customer Lifetime Value ou Valor da Vida Útil/Valor da Vida Útil do Cliente) – o lucro líquido previsto atribuído a todo o relacionamento futuro com um único cliente. Existem várias maneiras de calcular o LTV, mas, de forma simples, é o valor do cliente multiplicado pela vida útil média do cliente. [ARPU x (1 ÷ taxa de rotatividade)] (saiba mais)

MAU: (Monthly Active Users ou Usuários Ativos Mensais) – o número de usuários que interagem com um aplicativo ao longo de um determinado mês. [soma total de espectadores únicos em um determinado mês]

RR: (Retention Rate ou Taxa de Retenção) – a porcentagem de usuários que continuam usando um aplicativo por um determinado período. É o inverso da taxa de churn/taxa de desgaste. [veja aqui para modelos de cálculo]

ROAS: (Return on Ad Spend ou Retorno sobre o Investimento em Publicidade) – uma métrica usada para calcular a eficácia de uma campanha publicitária. É o valor da receita que uma empresa recebe por cada real gasto em uma fonte de publicidade. [receita ÷ custo]

ROI: (Return on Investment ou Retorno sobre Investimento) – a proporção do lucro líquido em relação ao custo do investimento; em outras palavras, a recompensa dos gastos com anúncios em lucros com a aquisição de usuários. [(receita total do anúncio – custo total da campanha de anúncios) ÷ custo total da campanha de anúncios]

Stakeholders

ADN: (Ad Network ou Rede de Anúncios) – uma plataforma de corretagem que conecta publishers a anunciantes.

AFN: (Affiliate Network ou Rede de Afiliados) – um intermediário entre publishers e programas de afiliados comerciais. As redes de afiliados geralmente gerenciam o monitoramento, relatórios e pagamentos em nome dos afiliados.

DSP: (Demand Side Platform ou Plataforma do Lado da Demanda) – uma plataforma de tecnologia usada pelos anunciantes para automatizar a compra de espaço para anúncios e o monitoramento de campanhas.

MB: (Media Buyer ou Comprador de Mídia) – um indivíduo ou equipe responsável pelas veiculações e negociação de preços dos anúncios.

MMA: (Mobile Marketing Association ou Associação de Marketing Mobile) – um grupo do setor que busca promover práticas e tecnologias de marketing mobile em nível global.

MMP: (Mobile Measurement Partner/Attribution Partner ou Parceiro de Medição Mobile/Parceiro de Atribuição) – uma plataforma que fornece informações mais profundas sobre as métricas de desempenho mobile por meio da coleta, organização e padronização dos dados do aplicativo.

MP: (Media Partner ou Parceiro de Mídia) – um veículo ou editor de mídia conectado a aplicativos com inventário de publicidade.

PMP: (Private Marketplace ou Marketplace Privado) – um marketplace em tempo real somente para convidados, onde grandes publishers podem oferecer seus inventários a um grupo seleto de anunciantes conceituados.

Applift is a leading mobile ad tech company that empowers businesses by creating the next-generation platform for advertisers to reach and convert their audiences on mobile.